Números divulgados pelo IBGE mostram uma elevação de 1,2% na economia brasileira no terceiro trimestre

Com um crescimento de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no terceiro trimestre de 2019 em relação ao trimestre anterior, a economia brasileira esboça uma reação. Os números divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a construção civil foi o setor que registrou o maior incremento, com 4,4% – a segunda alta da atividade após cinco anos consecutivos de queda. A construção imobiliária foi o segmento que mais avançou no período.

Considerado um dos motores da economia nacional, a expectativa é de que 2020 seja um ano de recuperação de forma mais consistente. Na avaliação da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), o crescimento do setor pode representar uma maior geração de riquezas para o país. Para as indústrias de produtos de madeira, em especial para o segmento de portas de madeira, o fortalecimento dos negócios da construção civil tem impacto significativo, já que boa parte da produção se destina ao mercado interno.

Ainda segundo os dados do IBGE, a construção civil acumula alta de 1,7% de janeiro a setembro de 2019 em comparação ao mesmo período de 2018. O PIB cresceu 1,0% nesse intervalo.

A construção responde por mais de 50% dos investimentos nacionais. “Em relação ao desempenho da economia, o resultado do PIB confirma as perspectivas de mercado de recuperação lenta e gradual. O investimento é a locomotiva que puxa o vagão do crescimento sustentado da economia. Sem investimento, a economia patina, não consegue construir as bases sólidas necessárias para o seu desenvolvimento”, avalia a economista Ieda Vasconcelos, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC).

Com informações da CBIC
Foto Agência Brasil

VOLTAR