Os fabricantes de portas, as construtoras, profissionais que especificam os produtos para os empreendimentos e os consumidores finais terão subsídio técnico e acesso a padronização de manuais de instrução, condições para contratação, recebimento e armazenamento, instalação do kit porta, preparação do vão, limpeza e manutenção de kit porta. As definições fazem parte do texto que está sendo desenvolvido pela Comissão de Estudos da ABNT que trata da parte 4 da norma de portas de madeira, a NBR 15930, que irá estabelecer as condições mínimas adequadas de instalação e manutenção para atender o desempenho exigível de portas de madeira nas edificações, além de prever e definir as responsabilidades do fabricante, instalador, construtor, usuário e contratante da porta de madeira.

Com a participação de representantes das construtoras, consumidores, laboratórios, coordenadores integrantes de outras comissões de estudo,  fabricantes de portas, revestimentos, ferragens e fixadores, o desenvolvimento do texto da norma está avançado. Dos oito requisitos previstos, sete já foram avaliados e redigidos. Também estão sendo elaborados anexos que visam facilitar o entendimento dos usuários. Na avaliação do coordenador da Comissão, Neiton José Caetano, a heterogeneidade e a capacidade técnica dos participantes contribuem de forma significativa para o processo coletivo de construção da norma. Grupos de trabalho foram formados para detalhar aspectos técnicos dos requisitos que compõem o texto. 

A próxima reunião da comissão está prevista para julho com a expectativa de conclusão dos trabalhos e submissão do texto a consulta nacional.

VOLTAR