O Grupo de Acompanhamento de Normas Técnicas (Gant) da Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Comat/CBIC) teve sua primeira reunião à distância no dia 16 de setembro para discussão do Desempenho Acústico das edificações habitacionais, próximo tema a ser revisado da norma ABNT NBR 15575 – Partes 1 a 6, pela CE-002:136.001 ‘Desempenho de Edificações’.

A arquiteta Fabiana Curado, especialista em engenharia acústica e ambiental da Síntese Arquitetura e Construção, apresentou ao grupo a proposta da Síntese de alteração do texto da Emenda da Norma, enviada à Comissão. Também foi discutida a proposta do Sindicato da Construção Civil de Balneário Camboriú (Sinduscon-BC), apresentada pelo engenheiro Rafael Possobon.

Pontos de consenso da discussão

Os membros do Grupo julgam ser necessário esclarecer que ambientes como banheiros, lavabos e áreas de serviço não são ambientes passíveis de avaliação acústica, apesar da expressão “situações onde não haja ambiente dormitório” conste atualmente em algumas partes da norma. Importante a correção dessa expressão ao longo do texto da norma.

Sobre a inserção de novos critérios na norma, o que não era o objetivo da Emenda, discutiu-se sobre a existência da avaliação do desempenho acústico em “situações onde não haja ambiente dormitório”, mas verificou-se que em itens específicos claramente fala-se que apenas dormitórios devem ser avaliados.

A inclusão da proposta de avaliação acústica das salas representa um aumento de critério, portanto não deve ser alterado na norma.

Outro ponto importante debatido foi a proposta de criação de uma Classe de Ruído IV que imputa ao setor da construção civil a responsabilidade indevida de um maior desempenho acústico das vedações verticais externas, sendo que a gestão da emissão de ruídos é de responsabilidade do poder público e as legislações são deficitárias. Ficou evidente na discussão a necessidade de as cidades desenvolverem o seu mapa de ruído, de forma a conhecer e gerir os ruídos urbanos que têm grande impacto no conforto humano.

A reunião Plenária da Comissão de Desempenho para tratar do Desempenho Acústico ainda não foi marcada. No entanto, segundo a Comat/CBIC, o GT de Acústica já se reuniu no dia 12 de agosto para esclarecer as dúvidas dos participantes da Comissão e acolher as contribuições para o texto normativo.

Os membros do Gant se reunirão novamente na primeira quinzena de outubro para discutir as contribuições do GT da Comunidade da Construção – Polo Goiânia (Sinduscon-GO / ABCP / UFG) e retomar a discussão sobre a metodologia de determinação de Classe de Ruído, para esclarecer que o entorno existente pode sofrer alterações alheias ao controle do construtor e tratar sobre a definição e inserção na norma de habitação tipo Estúdio.

Para acompanhar as alterações de normas técnicas do setor da construção, acesse o Portal de Normas Técnicas da CBIC. O cadastro, gratuito, dá acesso às informações destas e de outras Normas ABNT.

O acompanhamento e gestão das normas técnicas do setor integra o projeto ‘Inovação e Tecnologia’, realizado pela CBIC, por meio da sua Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (Comat), com a correalização do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai Nacional).

Fonte: Agência CBIC
Foto: Portal acústica

VOLTAR