Normalização

O processo de normalização consiste em uma atividade que estabelece a elaboração e implementação das Normas técnicas.

Norma é o documento que fornece regras, diretrizes ou características mínimas para atividades ou para seus resultados, visando à obtenção de um grau ótimo de ordenação em um dado contexto.

Para a criação de uma norma técnica dentro da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), organismo reconhecido, é preciso cumprir uma série de passos a partir de uma demanda apresentada pela sociedade, empresa, entidade ou organismo regulamentador.

No caso das normas para portas de madeira, todo o trabalho conta com a participação da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), que é a entidade gestora nacional do Comitê Brasileiro de Madeira (CB-31) da ABNT. Esse órgão é formado por Comissões de Estudo (CE), responsáveis por desenvolver e revisar as Normas Brasileiras. As CEs são formadas por representantes de produtores, consumidores, universidades, institutos de pesquisas e outras partes interessadas.

A publicação de uma norma técnica é um importante progresso para toda a cadeia do produto avaliado.

A NBR 15930 – Portas de madeira para edificações, desenvolvida através do Comitê Brasileiro da madeira ABNT/CB-31, pela Comissão de Estudos de portas de madeira CE-12, foi publicada em 2011.

Atualmente, a parte 2 da norma NBR 15930, que trata de requisitos, está sendo revisada. O trabalho foi retomado pela Comissão de Estudos com o intuito de fazer as adequações à norma de desempenho da construção civil (NBR 15575), publicada em 2013.

Paralelo à revisão da parte 2, a Comissão de Estudos trabalha na continuação da elaboração dos textos-bases das partes que dizem respeito aos requisitos de desempenho adicionais como isolamentos acústico, térmico e às radiações, resistência ao fogo, segurança anti-intrusão, acessibilidade e saída de emergência; e à instalação e manutenção.

  • Publicadas
  • Em estudo

Parte 1

Terminologia e simbologia

Define os termos adotados na classificação e nomenclatura de portas destinadas a edificações.

Parte 2

Requisitos

Especifica os requisitos para o perfil de desempenho e a respectiva classificação de portas de madeira para edificações de acordo com o nível de desempenho ocupação e uso. esta parte da norma contempla também o recebimento dos produtos em condições mínimas de desempenho.

Parte 3

Requisitos de desempenho adicionais

Especifica os requisitos adicionais de desempenho (isolamento acústico, resistência ao fogo, isolamento as radiações, isolamento térmico, segurança anti-intrusão, acessibilidade e saída de emergência) e a respectiva classificação complementar de portas de madeira para edificações.

Parte 4

Instalação e manutenção

Estabelece condições mínimas adequadas de instalação e manutenção de tal forma a garantir o desempenho exigível de portas de madeira para edificações. Também define as atribuições de fabricantes, instalador, construtor, usuário e contratante.