Programa de qualidade para porta de madeira une o setor, eleva o padrão do produto e traz mais qualidade a empreendimentos

A porta de madeira ampliou o grau de importância dentro dos sistemas construtivos nos últimos três anos. Isso se deve ao trabalho realizado pelo Programa Setorial da Qualidade de Portas de Madeira para Edificações (PSQ-PME), desenvolvido e coordenado pela Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci).

Ele está sustentado em 10 pilares que possibilitaram o fortalecimento do setor produtor, ganho de qualidade, presença em eventos nacionais e internacionais, criação de produtos e processos inovadores. Com abrangência nacional, o Programa reúne e representa os fabricantes de portas de madeira do Brasil. Desde 2014, o PSQ-PME vem pautando ações importantes, que se intensificaram no último ano. Entre os principais objetivos da iniciativa estão
o de promover a isonomia competitiva entre os fabricantes, por meio da conformidade técnica, adequando o desempenho dos produtos às normas existentes, estimular a melhoria contínua, agregar valor às marcas e dar garantias ao consumidor final.

“Por meio do Programa, nós fabricantes temos buscado o aperfeiçoamento, tomando as ações necessárias para unir os fabricantes de portas, colaboramos na atualização da Norma Brasileira NBR 15930 e divulgamos o programa para todos os fabricantes e clientes”, resume Robson Luiz Marcon, diretor executivo da Famossul Madeiras S/A.
Em complemento à busca pelo atendimento da norma, o PSQ-PME promove a mudança no conceito de venda do produto de madeira, que passou a ser focado no desempenho. Aliando eventos para a qualificação profissional e estratégia de marketing, para melhorar a comunicação com o mercado consumidor. “Os grandes anseios eram produtos que tivessem desempenhos específicos ao uso, como portas de entrada, portas externas, portas de
banheiros, portas acústicas, ao invés das famosas portas únicas”, destaca Fábio Ayres Marchetti, vice-presidente da Manoel Marchetti.

Incentivo às inovações também faz parte das ações do Programa. A busca por qualificação da porta trouxe novos produtos para atender necessidades que não eram observadas anteriormente. Para isso, é imprescindível a realização de pesquisa e testes, o que, em muitos casos, é viável somente quando há colaboração entre os fabricantes.

A cooperação nos custos das pesquisas e desenvolvimento para aperfeiçoamento do produto está entre os destaques do PSQ-PME”, avalia Daniel Zini, diretor comercial da Pormade. A Reflorestadores Unidos também se beneficiou
do Programa para introduzir a marca Ecoporta no mercado. A empresa adotou uma política de capacitação e de valorização dos colaboradores, que já rendeu, inclusive, ideias para redução de custos com insumos e  perfeiçoamento de equipamentos.

“A partir do PSQ isso se tornou uma constância na empresa. A capacitação começa na admissão do funcionário e é permanente”, explica o diretor de Operações, Cassiano De Zorzi. “O PSQ nos proporcionou e assegurou uma
evolução constante em todos os processos das empresas, bem como a segurança técnica e jurídica, que temos garantido ao mercado por entregarmos produtos normalizados e certificados”, avalia o diretor da Sincol, Caetano Balvedi Neto. Segundo o diretor, a empresa mantém uma base de Pesquisa e Desenvolvimento, que interage com os clientes. “O objetivo é promover a evolução dos produtos já ofertados e desenvolver soluções inovadoras e sob
medida, sempre assegurando segurança, confiabilidade e desempenho”, afirma.\

A realização do ENCAPP (Encontro da Cadeira Produtiva da Porta), que chegou à terceira edição em 2017, e a promoção de missões empresariais são outras duas atribuições do PSQ-PME que ajudam a promover negócios e estabelecer um ambiente favorável para fornecedores e fabricantes interagirem. “Estas ações somadas às certificações unem fabricantes e consumidores com o mesmo ideal”, destaca Daniel Pscheidt, gerente industrial e
comercial da Adami.

Fonte: Revista Portas de Madeira – edição 3
Foto: Eucatex

VOLTAR